Mamãe ama meu revólver

Espaço inexistente onde o nada se transfigura em coisa nenhuma e mimetiza o vazio. minha cabeça.

Tuesday, June 27, 2006

e nessas horas

a gente pensa no Nada.
o Nada e suas infinitas possibilidades de coisa nenhuma; suas múltiplas faces invisíveis; suas milhares de palavras não ditas; seus pensamentos, de raciocínios ondulantes e surpreendentemente vazios; o Nada e suas regras inexistentes.

Em sua multiplicidade, ele é unitário. pois é, unicamente e inevitavelmente "O" Nada. nessas horas notamos a incapacidade titânica da nossa linguagem.

nessas horas o Nada me parece uma mulher.

6 Comments:

At 11:27 AM, Blogger vah said...

Bahh se o nada te parece uma mulher talvez seja eu.
To me sentindo muito NADA!



beijoss, saudade afuu

 
At 9:22 PM, Blogger Chronos said...

melhor definição de mulher que eu já vi.
parabéns.

 
At 12:26 PM, Blogger Chronos said...

po
agora todo mundo tá implicando com o vento...
¬¬

 
At 6:18 PM, Blogger Gustavo said...

Tenho um puta medo do Nada.
Assim como, tenho um puta medo de mulheres.

Mas eu finjo direitinho;

 
At 11:07 AM, Blogger Chronos said...

postei de novo!

 
At 1:18 PM, Anonymous Vicente said...

eu não tinha falado antes mas ficou muito foda. eu queria ter escrito isso!

seu merda hipersensível!

 

Post a Comment

<< Home